Nosso Blog

Saiba como funciona o direito a férias do trabalhador

direito-a-feiras-dcastro

As férias anuais remuneradas são um direito de todo o trabalhador, além de serem essenciais para garantir a sua saúde e bem-estar. Muitas pessoas ainda não compreendem muito bem como funcionam as regras a respeito das férias remuneradas, mas entender bem esse ponto é de suma importância para garantir seus direitos como trabalhador.

O conjunto de leis que determinam o direito a férias é garantido pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e pela Constituição Federal de 1988, e conhecê-las vai te ajudar a entender melhor como e quando solicitar os seus dias de descanso.

Para lhe ajudar, separamos algumas informações que você precisa saber sobre os seus direitos. Continue sua leitura e entenda as leis que regem o seu direito a férias.

Entenda seu direito a férias

De acordo com o artigo 129 da CLT, todo empregado com carteira assinada tem direito a férias remuneradas anuais, e segundo a Constituição Federal, devem receber um terço a mais do que seu salário habitual, que deverá ser pago até dois dias antes da data prevista para tirar as férias.

No Brasil, o empregado deve completar 12 meses de contrato de trabalho assinado para ter direito às suas primeiras férias. Dessa maneira, entre os 12 primeiros meses e o terceiro ano de trabalho, o empregado tem direito a gozar de até 30 dias de descanso com remuneração prevista por lei.

Pessoa jurídica não tem direito a férias: a legislação entende que quem paga a folga é o empregador, e a pessoa jurídica já é o dono do próprio negócio.

Quando posso tirar férias?

direito-a-feiras-dcastro-3

Como o empregado precisa de pelo menos um ano de trabalho para poder tirar suas férias, nos primeiros 12 meses de trabalho, chamado de período aquisitivo, o empregado poderá tirar seus dias de descanso ainda.

Somente após esse período, o empregado deverá entrar em acordo com o empregador para determinar as datas das suas férias, já que a legislação determina que a época de concessão das férias deve estar de acordo com o interesse do empregador.

Já a duração das férias, regida pelo artigo 130 da CLT, será determinada de acordo com as faltas injustificadas ocorridas durante o período aquisitivo, de acordo com os seguintes números:

– até 5 faltas injustificadas: 30 dias de férias;

– de 6 a 14 faltas injustificadas: 24 dias de férias;

– de 15 a 23 dias: 18 dias de férias;

– de 24 a 32 dias: 12 dias de férias;

– acima de 32 dias: o trabalhador perde o direito a férias.

Com a reforma trabalhista, o empregador passa a ter a opção de dividir as férias do seu empregado ao longo do ano em até três períodos. Entretanto, esse fracionamento deverá seguir duas regras básicas: um dos períodos não poderá ser menor que 14 dias, e os demais deverão ser superiores a cinco dias.

A reforma trabalhista também proíbe que as férias sejam iniciadas dois dias antes de feriados ou do repouso semanal remunerado, normalmente aos domingos.

Como funciona a remuneração das férias?

Como já mencionamos, o pagamento da remuneração deverá ser feito até 2 dias antes do início das férias, mesmo que habitualmente o empregador pague o valor do salário em outra data. Relembramos que junto à remuneração referente ao mês das férias deverá ser acrescido um terço a mais do salário, conforme garantido na Constituição Federal de 1988.

Outro direito do empregado garantido por lei é a opção de vender parte das suas férias, ou seja, reverter os dias de descanso em pagamento em dinheiro, o chamado abono. Entretanto, o valor máximo a ser vendido deverá corresponder a 1/3 do período total de férias. Como o trabalhador tem direito a 30 dias de descanso, ele somente poderá vender 10 dias.

Essa venda é um direito do empregado, portanto, o empregador não poderá recusar-se a pagar, nem obrigar o empregado a vender suas férias. E caso a empresa atrase o pagamento da remuneração de férias, deverá realizar o pagamento do benefício em dobro.

Com relação a tirar férias em época de pagamento do 13º, algumas empresas entram em acordo com o empregado e realizam o pagamento de até metade do 13º durante as férias do trabalhador, o que é permitido por lei. Entretanto, o empregado precisa solicitar esse acordo no primeiro mês do ano, antes das suas férias, e o empregador não é obrigado a conceder caso não tenha interesse.

Vale lembrar que acumular férias é ilegal no Brasil, e caso isso aconteça, a empresa será punida.

É possível ser demitido durante as férias?

direito-a-feiras-dcastro-2

Durante o período de férias, o contrato de trabalho se encontra interrompido, por esse motivo, o empregado não pode ser demitido durante as férias nem pedir demissão ou dispensa sem justa causa.

Após o término das férias, essa condição de desfaz, e o contrato de trabalho volta a funcionar normalmente.

De olho nos seus direitos

São várias as leis que garantem o direito a férias no Brasil, por isso é preciso estar atento aos seus direitos. Entender como a legislação funciona vai te ajudar a garantir o descanso e lazer que todos os trabalhadores necessitam e merecem.

Ainda continua com dúvidas no assunto? Então clique aqui e envie para nós seu questionamento. Teremos o prazer em ajudá-lo.

Deixe sua mensagem

Sobre o Davydson Castro & advogado associados

Nossa equipe conta com corpo multidisciplinar e qualificada de advogados e estagiários.

Tel : +55 61 3203.4541

desvio de função no trabalho - como funciona e como receber os direitos
Notícias

Como identificar e comprovar o desvio de função no trabalho

Você exerce uma atividade diferente da que está especificada na sua carteira de trabalho? Cuidado pois você pode estar passando por uma situação de desvio de função no trabalho. Para que você entenda como funciona o desvio de função no trabalho, montamos esse conteúdo completo para tirar suas dúvidas. Confira!

Leia mais »
Posso pedir demissão e sair imediatamente? Entenda como funciona
Notícias

Posso pedir demissão e sair no mesmo dia?

Você sabia que é possível pedir demissão e sair no mesmo dia do serviço, porém a depender do tipo de contrato que você tem com a empresa, essa situação pode te trazer prejuízos. Confira no texto como funciona o processo de demissão imediata. Boa leitura!

Leia mais »
No more posts to show
Com mais de 10 anos de comprometimento e seriedade, nosso escritório já atuou em mais de 3000 processos com uma equipe jurídica especializada e atualizada para melhor lhe atender.

CONTATO

Localização